End the Fed

Ouro Utilizado como Moeda Actualmente

Há um estado da Malásia, chamado Kelantan, que repôs em circulação o Dinar de Ouro, como moeda corrente, ao lado do Riggit, denominação oficial na Malásia, sendo o único exemplo actual, que eu conheço, de utilização de ouro como moeda.

Podem encontrar a história do Dinar de Ouro, neste site, onde também é defendido que apenas uma moeda suportada por uma commodity, neste caso ouro, mas também a prata, pode ser justificada, de acordo com o Corão. Em concreto, o Zakat, um dos pilares do Islão, deve ser entregue na forma de um bem tangível, excluindo a moeda fiduciária.

Neste link, podemos ler um discurso, onde um académico da Universidade Malaia (cujo nome desconheço), defende que os países muçulmanos deveriam adoptar o Dinar de Ouro. Não concordo com tudo, mas apresenta algumas ideias interessantes.

Não sou muçulmano (peço desculpa caso tenha cometido algum erro do que escrevi acima), no entanto, certamente confio mais num Dinar de Ouro do que numa moeda controlada pelos Bernankes deste mundo.

Algumas frases interessantes:

"A chicken at the time of the Prophet, salla'llahu alaihi wa sallam, cost one dirham; today, 1,400 years later, a chicken costs approximately one dirham.
In 1,400 years inflation is zero.
Could we say the same about the dollar or any other paper currency in the last 25 years?
In the long term the bimetallic currency has proved to be the most stable currency the world has ever seen. It has survived, despite all the attempts by governments to transform it into a symbolic currency by imposing a nominal value different from its weight."

"How are the Islamic dinar used?
1.- The Islamic Dinar can be used to save because they are wealth in themselves.

2.- They are used to pay zakat and dowry as they are requisite within Islamic Law.

3.- They are used to buy and sell since they are a legitimate medium of exchange."

"If the Zakat was obligatory by considering its substance as a merchandise, then the nisab would not be stipulated according to its value but according to its substance and its quantity, as is the case with silver, gold, grain or fruits."

Curiosidade: a palavra "dinheiro", assim como o espanhol "dinero", vêm de Dinar, que por sua vez tem origem em Denário, moeda utilizada na Roma Antiga. A primeira moeda oficial portuguesa, chama-se mesmo "Dinheiro".

Documentário

Documentário interessante, da autoria de Aaron Russo, sobre o sistema fiscal americano, a Reserva Federal e o sistema bancário.

O que pode acontecer depois do Euro?


Aqui fica um artigo interessante com um cenário possível de desmembramento da Zona Euro.

Para Portugal, ficar no Euro é o menor dos males. É melhor do que voltarmos a um novo "Escudo", porque tal como nos anos 80 (antes de haver alguma perspectiva de aderirmos à moeda europeia), muito provavelmente voltaríamos a ter um banco central pouco independente perante o poder politico, o que poderia significar voltar a taxas de inflação de dois dígitos. Ao menos, no Euro, como o BCE é controlado pelos alemães, que nunca esqueceram a hiper-inflação dos anos 20, o compromisso com uma inflação baixa é levado a sério.

O que eu queria mesmo para Portugal, embora reconheça que não é muito realista que se venha a concretizar, num futuro próximo, é que o estado se desligasse da criação de moeda, e adoptássemos um sistema de free banking.

"Freedom can run a monetary system as superbly as it runs the rest of the economy. Contrary to many writers, there is nothing special about money that requires extensive governmental dictation." - Murray Rothbard - "What Has Government Done to Our Money?"

Liberalização?

Quando vejo estas notícias, tenho 2 reacções: 1º dá-me vontade de rir porque liberalizar devia apenas querer dizer: "a partir de certo dia, qualquer empresa pode prestar este serviço/vender este bem"; 2º fico com medo, porque não vamos ter uma verdadeira liberalização, e quando correr mal vão vir as vozes do costume: "eu bem avisei, a liberalização é pior do que quando havia um monopólio estatal".

Normalmente, aquilo a que o estado chama liberalização é algo do genero:

- vender umas poucas licenças, a algumas empresas com influência política => restringindo a concorrência, que é um condimento essencial para a superioridade do mercado livre sobre alternativas estatais;

- permitir empresas privadas, mas com um quadro de regulação muito pesado, que as exclui de partes importantes do mercado => com o intuito de proteger empresas amigas do poder, ou empresas estatais ineficientes;

- fazer umas quantas parcerias publico-privadas => com todas as consequências negativas que recentemente têm sido amplamente debatidas.

Liberalizar é muito fácil, basta permitir que qualquer empresa possa entrar no mercado, sem privilégios para nenhum dos participantes. Quando houver problemas, são ultrapassados em tribunais ou através de orgãos de arbitragem previamente acordados. Não compliquem!