Como o salário minimo está a destruir a economia portuguesa


Infelizmente, Portugal sofre de um mal parecido com o da Samoa Americana, mas enquanto o mal dos Samoanos foi infligido por políticos americanos, que se encontram a milhares de quilómetros, o nosso também foi feito por políticos demagogos, mas que são portugueses.

Tal como escreve o professor César da Neves:

"O pior da situação económica actual é sem dúvida o drástico aumento do desemprego que ultrapassou máximos históricos. Em particular os trabalhadores pobres e não especializados têm sido mais atingidos. Dado que ao mesmo tempo se verifica uma deflação, com descida de preços que só por si aumenta o valor dos rendimentos, o mais elementar bom-senso recomenda moderação salarial para proteger os postos de trabalho que se mantêm. Em vez disso, o Governo decidiu a medida bombástica de aumentar o salário mínimo para 475 euros. Como vem na sequência de subidas anteriores, o nível é hoje 27% superior ao de 2005, mais de 17% em termos reais. É inacreditável que pessoas responsáveis apresentem essa medida como um esforço governamental de justiça social. De facto o Estado não paga um cêntimo desse salário mínimo. O que faz é apenas proibir os empregos que paguem menos. Para os trabalhadores que se mantêm a trabalhar há ganhos. Mas quantos vão ser forçados ao desemprego ou à clandestinidade por esta decisão supostamente benéfica? Em momento de recessão e deflação a proposta raia a loucura e fazer experiências com pessoas pobres é infâmia. A subida do salário mínimo constitui o maior atentado das últimas décadas às classes desfavorecidas."

1 Comentários:

Sier disse...

Não concordo. de certeza que o carissimo não depende do salário minimo. Para milhares de pessoas essa é a dura realidade. Penso que deveria existir uma menor discrepância de salários em Portugal. E se vier com a velha história do fraco rendimento do trabalho, eu concordo. Não esquecer que a riqueza bem redistribuida gera satisfação nas populações e é multiplicador de rendimentos. Está na história..