Divida do Estado Português

Tal como em muitos outro assuntos, os nossos governantes continuam com uma opinião muito própria em relação à dívida pública portuguesa, mantendo um optimismo irrealista, enquanto o mundo à sua volta se desmorona.

A verdade é que se não fossem as compras massivas de dívida (portuguesa e de outros), por parte do Banco Central Europeu, já o FMI estava em Lisboa há muito tempo. Mas segundo as últimas declarações de Jean-Claude Trichet, "a responsabilidade política monetária não pode substituir a irresponsabilidade dos Governos" (nesse momento, José Socrates deve ter sentido as orelhas a arder).

Será que vamos começar a ver um BCE mais responsável, ou será que vai continuar a ajudar os "irresponsáveis" em detrimento dos responsáveis? Sim, porque quando cria moeda para salvar alguns estados, está a beneficiar aqueles que recebem primeiro essa nova moeda (neste caso aqueles a quem a dívida é comprada), prejudicando os outros cujo dinheiro sai desvalorizado pela inflação. Na prática, está a haver uma transferência de riqueza dos países da Zona Euro que têm as contas em ordem (as formigas), para aqueles com défices descontrolados (as cigarras).

Enquanto a irresponsabilidade continuar a ser premiada, os perigos de contágio vão persistir, outros países terão de ser salvos (ao contrário do que pensa a Alemanha) e o Euro estará em sério perigo…

0 Comentários: