Foram os "animal spirits" que causaram a crise?


Acho piada (no mau sentido) a esta explicação keynesiana dos animal spirits, para as crises, que infelizmente é muito popular entre os comentadores, que aparecem nos nossos meios de comunicação social, e entre os nossos políticos.

Quer dizer que tudo corria bem, até que certo dia as pessoas são invadidas por pensamentos irracionais e lançam a economia numa crise, sem que haja algum fundamento real para que isso aconteça. Segundo o autor deste texto, que fala elogiosamente do livro "Animal Spirits: How Human Psychology Drives the Economy, and Why it Matters for Global Capitalism", o que explica as crises é a degradação moral dos agentes económicos, que vão diminuindo a sua aversão à corrupção.

Escreve o autor do texto, seguindo as ideias do livro, “o renovar cíclico de tais ondas assenta no facto de haver por parte dos agentes ou organizações, em determinados períodos, a crença de que é fácil obter ganhos indevidos sem sofrer uma penalidade de dimensão equivalente.” Temos de nos perguntar é se isso aconteceu unicamente porque os agentes foram tomados pelos tais “animal spirits”, ou se de facto há razões reais que levaram a essas decisões.

Então, vejamos, havia garantias implícitas do governo americano à Fannie Mae e Freddie Mac, acreditava-se que em caso de crise grave o governo não deixaria cair os grandes bancos (tal como havia feito no passado, e de facto voltou a fazer), o Fed manteve taxas de juro muito baixas praticamente durante a primeira metade da década de 2000, o que (1) motivou a bolha do mercado imobiliário, criando a ilusão que as casas valorizariam todos os anos entre 10% a 20%, e (2) inundou o mercado financeiro de liquidez, levando muitos bancos a seguir politicas perigosas de endividamento. Quando o Fed começou a subir as taxas de juro, para conter a inflação, a bolha ainda se aguentou durante mais uns anos, mas acabou por rebentar em 2008. Será que todas estas medidas, por parte do estado e da Reserva Federal, não ajudaram a fazer crescer a crença de que não haveria “penalidade de dimensão equivalente” aos ganhos?

Parece-me óbvio, que os bancos tinham um forte incentivo a arriscar demasiado, porque se ganhassem, os lucros eram deles, se perdessem, eram salvos pelo estado. Os lucros também pareciam muito fáceis, com os bancos a receberem crédito barato junto do Fed, que depois usavam para alimentar a bolha do imobiliário.

Perante isto, como é possível alguém ainda acreditar nesta história dos “animal spirits”?

PS: um bom reconhecimento das causas da crise, é importante para saber qual a melhor forma de a ultrapassar. Se a crise fosse apenas “psicológica”, poderíamos recorrer a alguma acção do estado para resolver a situação. No entanto, esta crise tem causas bem reais, nas quais está bem presente a mão do estado a distorcer os mercados. Se foi o estado e a Reserva Federal que causaram a crise, será que a podem resolver? Não me parece.

0 Comentários: