O Zapatero já sabe...


A ser verdadeira a apresentação que se pode encontrar aqui, o Zapatero já sabe que a sua politica energética é um desastre económico. Resta saber o que ele vai fazer em relação a isso.

PS: a nossa política energética é muito parecida. Os resultados não devem ser muito diferentes.

PS 2: na imagem, imaginar o Socrates em vez do Obama.

4 Comentários:

JORGEM disse...

Desculpa, mas a nossa politica energética é muito diferente.

Eles apostaram demasiado na fotovoltaica e ela não é rentável, basta observares o gráfico para ver que a solar representa em termos de custo das renováveis 53% e apenas produz 11% do total. (este tipo de fotovoltaica, pois já existe uma nova geração que consegue produzir energia de dia e de noite utilizando sal puro para reter o calor para a noite. Porém o sector nuclear já está a intentar comprar a empresa que inventou este sistema para o mandar para a prateleira. . .pois a nova geração já é extrema-mente rentável.)

No caso Português, a nossa aposta é principal mente nas eólicas.
Observa o gráfico Espanhol e iras ver que para eles representa 31% dos custos e produz 64% do total da energia das renováveis.

JORGEM disse...

Para terminar é chegado o momento de se falar abertamente da energia livre e dos seus motores magnéticos.

Não os querem deixar sair, pois seria o fim dos monopólios energéticos mundiais. . .
Não é ficção! Pesquisa no youtube por Magnetic hybrid motorbike (já pronto a comercializar desde 2006, mas nunca o deixaram sair para o mercado) ou vai a www.motormagnetico.org onde mostra um motor a ser apresentado na Universidade Tecnológica de Delft na Holanda.

Um abraço.

P.S: Pesquisem no you tube por motores magnéticos e encontrarão muita coisa.

Marco disse...

Jorge, obrigado pelo teu esclarecimento. Quando digo que são parecidas, o meu principal problema é que o estado despeja subsídios neste sector para o tornar rentável. Eu não tenho nada contra se uma empresa quiser apostar em energias renováveis, desde que isso não aconteça com dinheiro que foi retirado aos contribuintes coercivamente, através de impostos, como é o que acontece actualmente em Portugal e Espanha.

Marco disse...

PS: vi o link que indicaste, muito bom. A ser verdade, pode ser uma revolução completa nas nossas vidas, mas como dizes muitas vezes algumas empresas têm lobbies poderosos junto dos governos, conseguindo por todos os entraves possíveis para impedir certas inovações de chegarem ao consumidor.