Assim é impossível




Excertos das respectivas notícias: "O Ministério da Justiça (MJ), vendeu, entre muito outro património, os estabelecimentos prisionais (EP) de Lisboa e de Pinheiro da Cruz, os maiores do País, por 60 e 81 milhões de euros, respectivamente. no âmbito do programa de alienações lançado em 2006 pelo então ministro Alberto Costa, avança hoje o “Diário de Notícias”.

"O défice da CP ascende já a 3,1 mil milhões de euros, precisamente o mesmo valor que vai custar a linha de TGV entre Lisboa e Elvas, com a terceira travessia do Tejo concluída, noticia hoje o “Público”."


Caros leitores, deixo a questão, após verem estas 2 notícias, quem é que se acredita ainda que o Estado consegue ser gestor de alguma coisa? Ainda há alguns que gostavam de nacionalizar a Galp e outras... aposto que passariam a dar prejuízo, como o davam antes de serem privatizadas. Assim, com este regime que tem tudo menos de capitalista não se vai lá. E Portugal a ficar cada vez mais pobre, está a chegar ao limite.

Continuo a dizer, quando Portugal anunciar a bancarrota e pedir ajuda ao FMI, (mas se calhar na altura o FMI também vai estar aflito), espero que o povo tome o caminho da liberdade, em vez de, com medo, pedir mais do que nos meteu neste sarilho, ou seja, mais ESTADO.

A CP diz algo ainda como "Tivemos menos passageiros, não houve aumento tarifário, mas tivemos aumento de custos, nomeadamente dos salários e da manutenção dos comboios, e um acréscimo dos custos financeiros", afirmou Cardoso dos Reis". Daqui eu pergunto, então para que é o TGV? Se os comboios que há de momento dão este prejuízo todo e há cada vez menos passageiros, o TGV vai provocar o quê?

Eu digo basta desta palhaçada toda, pois quem paga são cada vez mais os cada vez menos contribuintes e empresas que existem neste país, um país que sofre de complexo de inferioridade, gerido por toda a gente menos por quem entende menos de gestão, que seria o mercado livre, empresários e empreendedores, movido por incentivos.

BASTA...

0 Comentários: