Pensamentos Soltos Sobre Copenhaga

Quando vejo tantos políticos juntos, como na Cimeira de Copenhaga, não consigo evitar que um sentimento de receio invada a minha alma...

Confesso que sou um céptico em relação à linha de pensamento que defende que estamos no meio de uma grande mudança climática, que é em grande parte causada pela actividade humana, e que por isso devemos tomar medidas radicais para inverter essas alterações.

Como céptico, também não quer dizer que ponha essa hipótese totalmente de parte, até porque no passado já houve catástrofes naturais causadas pelo Homem.

No entanto, quanto mais me informo sobre o assunto mais vejo argumentos palpáveis do lado dos que acham que mesmo que o Homem tenha alguma culpa numa eventual alteração climática (algo que, ao contrário do aparente consenso divulgado pela comunicação social e pelos ecologistas, muitos cientistas negam estar a acontecer, apresentando dados concretos), tudo o que possamos fazer vai ter muito pouco impacto uma vez que há outros factores muito mais importantes para estas (eventuais) alterações do clima, enquanto do campo dos ecologistas há muitos argumentos pouco científicos, por vezes envoltos em ameaças apocalípticas, já para não falar neste recente escândalo do "Climategate".

Também acho alguma piada ao seguinte, quando alguém defende uma posição oposta ao aparente "consenso", na comunicação social, essa pessoa acaba por ser apresentada como um idiota, que está mal informado ou que deve ter algum interesse obscuro, quando o "Climategate" demonstrou que os interesses obscuros não se encontram apenas de um dos lados da barricada. Tudo isso, faz-me lembrar a forma como são apresentados os defensores do capitalismo, talvez venha daí parte da minha simpatia.

Outro ponto que me torna renitente, é que as medidas apresentadas (sistemas de cap and trade, subsídios a indústrias verdes, aumento de impostos em área consideradas menos limpas, etc.) apenas apontam no mesmo sentido: cada vez maior poder para os mesmos de sempre (estado, políticos e seus amigos - que vão tomar as grandes decisões - e as grandes empresas - que eliminam os concorrentes que não conseguirem adaptar-se às novas regras), em detrimento dos mesmo de sempre (aqueles que não têm poder para influenciar os centros de decisão, mas que vão pagar de alguma forma) e da nossa liberdade. No mínimo, o que pode dizer é que os incentivos criados por este sistema podem ser duvidosos.

Para terminar quero frisar que não tenho uma opinião totalmente formada sobre as alterações climáticas, em boa parte porque é difícil ter acesso a informação isenta (tarefa impossível, na comunicação social). O que apenas tentei, no texto acima, foi enumerar alguns pontos que me levam a questionar aquilo que para muitos tem de ser seguido como um dogma religioso.

0 Comentários: