As mesmas tretas de sempre - BASTA

Vou aqui falar, resumidamente de 2 questões. A questão que a comunicação social aplaudiu do GDP americano e do Obama vir dizer, que salvou 1 milhão de empregos.

Pessoalmente, estou um bocado farto das mesmas mentiras dos políticos. A linguagem é a mesma, quer seja em Portugal, USA ou na China. Sempre a mesma lengalenga, de que salvaram isto e aquilo, que a economia está a recuperar da crise, crise essa provocada por outros, nunca pelos mesmos. Isto é tudo bullShit... Major league bullshit.

Já é tempo, das pessoas, aplicarem um pouco do seu tempo, a estudarem o assunto, mais que disponível, em vários sites de internet. Só não o fazem porque não querem. Este é um assunto sério, com implicações no presente e futuro dos vossos filhos e netos. Se, para escolherem uma televisão, perdem dias a pesquisar na net, porque é que, para um assunto tão sério, como o económico, não perdem também dias? Porque é que acreditam no que vêm no telejornal por parte dos políticos e jornalistas (eu não me lembro da última vez que vi um telejornal... haa já sei, foi nas férias e quando ouvi o primeiro-ministro dizer que tinhamos saído da crise, porque o nosso PIB foi positivo, além de me matar a rir, lembrei-me porque é que deixei de ver a parte económica nos telejornais).

Esta semana falou-se do GDP americano, que subiu 3.5% (uau... esqueceram-se de dizer que primeiro é uma estimativa e depois também se esqueceram de dizer, quais as rúbricas que subiram e cairam), e que a economia iria recuperar. Volto a repetir, chega de dizerem mentiras e enganarem as pessoas. Não vai haver recuperação económica nenhuma enquanto os políticos ditarem as leis e não o mercado livre. Os políticos provocaram a especulação imobiliária das casas, sustentaram toda a economia nesse pressuposto, pararam de produzir, e claro, que uma economia baseada no esquema da pirâmide, ao rebentar trás as suas consequências... agora querem resolver a situação com mais dívida e créditos mal parados, que provocaram a situação alarmante de há uns meses. Ou seja, querem curar um drogado, dando-lhe mais drogas e drogas mais pesadas. Só na cabeça dos políticos. O problema é que isto é feito, à custa, do sector privado e aumento de impostos. Caso o mercado fosse livre, nunca se passaria uma coisa destas, já que o mercado ajustasse á oferta e procura e não há os booms and busts de uma economia tipicamente comandada por governos e políticos.

Há um artigo interessante acerca do GDP dos USA aqui que aconselho a leitura. Coloco ainda um vídeo do Peter Schiff acerca do mesmo assunto.



O outro assunto, é o emprego criado pelos políticos. Nunca os políticos hão-de criar empregos sem destruir outros tantos. A economia tem recursos escassos, não são recursos imilitados, e ao direccionarem recursos para um dado local, perde-se do outro. Simples, mas os políticos não o entendem. Apenas estão virados para o populismo barato, não lhes sai do bolso se correr mal e é sempre fácil culpar os inimigo invisível (crise ou especuladores).

Obama veio dizer, todo contente, que criou ou ajudou a salvar 1 milhão de empregos. Isto é BS da grande. O que ele fez, e por isso está tudo indignado e on fire nos USA foi dar $ triliões aos bancos, com o objectivo, segundo ele, de os bancos emprestarem às pessoas. Mas claro está, o que é que foi feito na realidade? Os bancos pegaram no dinheiro e voltaram ao seu tema preferido, especulação nos mercados financeiros, inflaccionando todos os preços (porque é que acham que o preço do combustível está como está?). Isto permitiu-lhes ganhar muito dinheiro com esta manipulação e especulação nos mercados, com dinheiro grátis que o governo lhes deu dos contribuintes, e andam a pagar-se a si próprios biliões de dólares de prémio. Só a Goldman Sachs (braço armado do governo americano) vai pagar mais de 500 mil dólares a cada funcionário em média. Que bonito...

O governo americano, ao endividar-se em mais alguns TRILIÕES de dólares, irá ter de aumentar os impostos, sobrecarregando quem? Não... não são os bancos quer receberam dinheiro gratuito, são as pequenas e médias empresas, a classe média... que irá ver agravado, em muito, o seu nível de vida.

Além de muitas outras coisas, que poderia falar aqui, vou focar apenas que o facto, das empresas falidas, estarem a ser salvas pelo governo, é um desastre... e porque? Porque aquelas produtivas, as que gerem bem os recursos, agora têm acesso ao crédito ou reduzido ou nulo, porque os bancos preferem emprestar às empresas falidas que têm garantidas do governo. Assim, como 2+2=4, as empresas produtivas ficam também em dificuldades, despedindo trabalhadores, que não iriam ser despedido se não fosse a intervenção do governo, nem podendo desta forma, ficar com as partes boas, e trabalhadores, das empresas falidas. Ou seja, estragam-se assim 2 famílias... depois claro, vão criar o emprego no sector público... sector que além de ter já pessoas a mais, deverão concerteza estar mal distribuídas.

Chega disto, chega dos políticos que pensam que isto é como jogar ao monopólio. Abram os olhos para o que realmente pode mudar a situação, que é um mercado livre, haver mais liberdade individual e colectiva para os particulares, poderem prosperar e conduzir os seus negócios. Chega de dar $ aos políticos, para o gastarem em lobbies e nas suas estratégias completamente absurdas.

Fica um texto óptimo acerca da questão do emprego que o Obama diz que criou e um vídeo também super interessante. Apliquem um pouco do vosso tempo a ler e ver o que coloquei aqui. Bom fim-de-semana, e a melhoria de vida está nas vossas mãos, não na dos políticos.



Diziam que sem plano de estímulos, o desemprego seria de 9%... Uns triliões depois, está praticamente 10% (o oficial). Ou seja, ao ser transferido capital de um sector para o outro, o desemprego gerado em sectores produtivos, superou em muito o criado em outros sectores, normalmente públicos.





1 Comentários:

André disse...

Afinal, parece que nem foram criados empregos com o estímulo. Mais uma "mentira" dos governantes...

http://www.zerohedge.com/article/stimulus-creates-640000-jobs-big-lie