Divida pública vai explodir



Hoje, um antigo economista chefe do FMI disse o seguinte: " Dívida pública vai "explodir" e haverá "incumprimentos por parte de alguns países", depois do forte aumento da dívida pública a que se assistiu nos meses mais recentes, disse Kenneth Rogoff.

O Pedro, publicou um artigo há umas semanas, a falar desta situação da dívida.

Ora bem, esta é uma situação, provocada pelas políticas Keynesianas, onde os estados se apoiam na teoria económica que lhes dá mais jeito, e vamos lá gastar dinheiro... Onde? Logo se vê. É uma grande irresponsabilidade e poderá levar, a curto/médio prazo, a um caos mundial. Se o caro leitor, estiver com problemas financeiros, a solução será poupar... não será pedir ainda mais empréstimos, e gastar tudo em boletins de totoloto.

A recessão que estamos a viver, foi provocada, pelo dinheiro fácil que os governos, quase que obrigaram os bancos a fornecer. Nos USA por exemplo, o governo obrigou a que 52% de todos os empréstimos, fossem dados a pessoas, que não tinham meios de os pagar. Assim, o preço das casas, permaneceria alto e o boom económico permaneceria alto. Claro que, como este é um esquema, que é igual a um PONZI scheme, rebentou, como todas as bolhas rebentam. Alguns diziam o que iria acontecer (Peter Schiff, Ron Paul, Gerald Celent, etc, mas o governo fechou os olhos, os bancos centrais alimentaram a bolha).

Ao haver esta concessão de crédito barato, houve o aparecimento de empresas, que nunca teriam aparecido em primeiro lugar, se o crédito tivesse a circular, sem o governo metido ao barulho. Neste momento, o que a economia necessita, é de limpar os excessos. Só que o problema, é que o estado está a tentar que, as empresas que não devem continuar activas, devido à má gestão, o estejam, veja-se por exemplo, o caso do BPN e outros.

Como mostra a figura, os estados estão a tentar apagar o fogo da recessão, com o produto, que a incendiou... ou seja, mais dívida e mais créditos bancários desmedidos, sem suporte nenhum. Esta é uma situação muito preocupante, pois quem irá pagar, será o contribuinte. Como apenas há 3 maneiras do estado se financiar, (emissão de moeda, dívida e impostos), para pagar as dívidas avultadas, que estão a ser usadas para especulação nos mercados financeiros (novamente), terá de haver um aumento de impostos substancial para o pagamento dessas dívidas. Portanto, caro leitor, prepare-se... que os impostos irão aumentar, directos e indirectos e quem não tem culpa nenhuma, irá ver os seus créditos recusados. Para salvar empresas falidas, coloca-se na falência também, empresas boas, já que como diz o ditado, "pelo pecador, paga o justo".




1 Comentários:

André disse...

http://www.zerohedge.com/article/more-european-turmoil-romanian-government-set-topple-tuesday-country-faces-financial-crisis

Parece que a comunicação social não quer que a população se proteja... Quer que continue a festa nos mercados financeiros, sem ninguém ter a mínima noção de risco.

Já há vários países da europa emergente em dificuldades sérias.

"At the end of the day, you add up enough of these "minor" regional crises, and you have a big regional crisis. Yet nobody cares, as the "trade of the day" is long EUR, short USD, going against it would be "fighting the tape" and "getting in front of a speeding train" and other such trite soundbites. When you have a bubble nobody cares about facts until it is too late. If in the meantime, the status quo is irreparably damaged, it is all good. Mr. Bernanke will pull something out of his magical printing press for that as well. "