Dívida - Circulo vicioso

uando muito se fala no problema da Grécia, e muito pouco nas causas que levaram a essa dívida, temos novamente este problema a tentar ser varrido para debaixo do tapete. Os dirigentes a tentar camuflar os seus erros, típicos da classe política que só existe para servir os lobbies instituidos e dar a ilusão de escolha, evitam a resolução deste problema da dívida soberana, que foi denunciado por este e outros blogs há vários meses / anos atrás, mas claro ignorado porque dava jeito.

O problema da Grécia é um problema menor, já que comparado com outros países é algo insignificante no impacto do GDP europeu (representa 3%), só que como a banca está envolvida então os aflitos e um dos lobbies mais fortes faz barulho para os mesmos (contribuintes) paguem a factura da sua loucura e da ganância dos bónus bilionários. O real problema está em países como UK (falido), USA (falido), Espanha (falida), Itália (falida), etc, etc...

Espero que não se deixem enganar pelos dirigentes quando vierem cobrar mais impostos a bem do sonho europeu, já que todos nós iremos ser obrigados a pagar as dívidas de um sistema económico à beira do colapso, financiado a bem da classe instituída. O problema não pode ser resolvido pela mesma classe que o provocou. Está na altura de irem embora e deixarem o mercado ajustar por si próprio.

Quando vemos o Constâncio, que no seu mandato deixou 2 bancos falirem graças a crimes cometidos, e outro como o BCP onde a gestão veio-se a descobrir era também ela fraudulenta, ir para vice-presidente do BCE está tudo dito. Os cargos políticos, neste sistema político não são atribuidos por mérito, mas sim pelas amizades, compadrios e favores que se fazem. Eu espero que cada vez mais pessoas abram os olhos, e impeçam esta palhaçada que é o nosso sistema dito capitalista continue (vivemos num sistema onde a oligarquia impera). Haja coragem para mandar o estado dar uma volta, reconhecer que quanto maior o estado maior a vigarice, desperdício e impostos e deixemos que o mercado se ajusta livremente. Ficam 3 gráficos, o da dívida de alguns países, para se enquadrarem com os vencimentos deste ano (esquema ponzi prestes a rebentar), o dos USA que neste momento é dos países com um sistema totalmente falhado e prestes a implodir e o gráfico mostra porque e por fim um chart para se verificar em que ponto os países mais evoluidos da Europa se encontram, relativamente a dívida criada. Por alguma razão estes países acham a dívida um disparate e por acaso são dos mais avançados a vários níveis da europa e do mundo.

Só rezo para quando isto der o estoiro, a populaça não queira mais Estado e reconheça de uma vez por todas que É ESSE O PROBLEMA... exemplos não faltam. Quanto mais à esquerda é o país, MAIS MISERÁVEL ELE É... Por alguma razão é e exemplos não faltam.


































2 Comentários:

AG disse...

"Spend yourself out of debt" tem o mesmo sucesso que "drink yourself sober".

News bite : Em despesa salarial, só a Administração da PortugalTelecom ganha tanto como _todos_ que trabalham na SonaeCom.

AG disse...

A tabela é um bom resumo do estado das coisas, os 36B€ batem certo com os números que tenho visto por aí e do que consegui entender dos dados do IGCP. Ainda hoje foi realizada outra emissão de curto prazo (maturidade 12 meses) de mil milhões de euros (1B€) com uma taxa de 1.173%. Embora seja uma taxa mais baixa que os 1.379% de à 2 semanas atrás (leilão de 300M€), continua cerca de 25% superior à taxa de 20 de Janeiro de 0.928%. Isto para não falar na taxa de juros altissima de 4.8% de maturidade 10y no valor de 3B€.

Ou seja, dado que será necessário recorremos aos mercados financeiros em cerca de 38B€ durante 2010, e dado que estamos a pagar cada vez mais pelo crédito. Parece cada vez mais provável que o OE2010 acabe com um déficit maior do que os 8.3% estimados pelo simples facto que as contas de alocar 17% do OE para pagamentos de juros é um valor incorrecto e terá que ser maior. Resta saber quanto... aceitam-se sugestões e contas!