O Embuste da Golden Share

Nem sempre concordo com as opiniões de Francisco Sarsfield Cabral, que é um keynesiano, mas neste caso, do seu artigo de opinião "O Embuste das Golden Share", no Página 1 de 18 de Fevereiro, acho que acertou em cheio:

"O Estado português tem acções com direitos especiais (“golden shares”) em várias grandes empresas, como a Galp e a Portugal Telecom. A “golden share” permite ao poder político ter um apreciável poder na empresa sem possuir nela o capital que seria exigido a um accionista normal. A Comissão Europeia está contra a “golden share”, que considera violar a sã concorrência e representar uma intromissão inaceitável do Estado nos negócios. Por isso a Comissão já colocou o Estado português em tribunal.

Para manter a “golden share” o nosso Governo alega a protecção do interesse nacional em sectores estratégicos. Mas o que se viu nas últimas semanas sobre a “golden share” do Estado na PT mostra que esta serve sobretudo para outros fins.

Desde logo, para nomear como administradores gente do partido ou afecta ao Governo, independentemente do respectivo currículo. Depois, para usar ou tentar usar esses administradores em esquemas pouco ortodoxos, como o condicionamento de alguma comunicação social. Seria, por isso, saudável acabar de vez com o embuste da “golden share”."

1 Comentários:

AG disse...

Entretanto já criaram mais outra empresa pública para torrar milhares de milhões à velocidade da CP ou REFER, chama-se RAVE.